Uma “guerra mundial” e as suas diferentes fases

Uma “guerra mundial”, as suas diferentes fases e a sua estranha associação cinematográfica.

Ora saudações meus caros internautas, eu sou o Álvaro Dentro Dos Campos e, após uma longa espera, cá estou eu de volta. Hoje, apenas vamos falar do estado de alguns clubes portugueses e dos últimos acontecimentos de cada um. Bem, vamos começar.

Jesus nas Arábias

Ironia do destino, jesus regressa às Arábias (mudanças no comando e uma associação à religião)

Em primeiro lugar, vamos comentar toda a especulação que acabou por se demonstrar verdadeira no que toca na saída de Jorge Jesus do Sporting.

Teve colossos europeus interessados nele, tal como Real Madrid, mas o dinheiro fala mais alto e, ironia do destino… um Jesus irá treinar muçulmanos. É verdade, aqui está a prova de que Jorge Mendes consegue vender tudo, desde um Djaló ao Benfica, até a um Jesus aos muçulmanos. É obra.

Tensão em Alvalade

O tema por que vocês tanto esperavam.

Um tema que se abuso, passo a correr risco de vida, e um tema um tanto conturbado. Esta versão portuguesa do filme “The Purge” não correu como planeado, e ao invés de eliminar parte da população mundial, simplesmente fez com que a crise do Sporting se agravasse ainda mais, com o congelamento de ações, rescisões de jogadores e uma crise económica e psicológica tremenda.

Para além de um “The Purge”, a atualidade do Sporting pode ser resumida também noutro filme : “Captain America, Civil War”. Onde se divide uma grande instituição em 2, uma metade está de um lado (Lado Bdc) que é apoiado por todos os rivais, alguns membros da JL e sócios que estão a encher o bolso; e o outro lado, lado anti-BDC onde estão os verdadeiros amantes do Sporting, pessoas minimamente capacitadas e grande parte dos sócios. Estas 2 partes andam as duas à chapada o filme todo, até que o membro que causou a confusão em questão é guardado em segredo pelo lado bdc. Quem sabe se o filme não nos quer dizer nada *Pisca pisca*

Agora não recorrendo ao humor, e dando a minha opinião. Penso que este é um momento triste e um tanto decepcionante para o Sporting e o futebol português em geral, que pode causar a ruína de um dos grandes de Portugal. Acho que não há nada mais desnecessário e assustador do que 50 encapuçados a correrem por ordem do presidente do próprio clube, e acho que sem dúvida alguma os jogadores tomam a decisão correta ao rescindir por justa causa, tendo toda a legitimidade para tal. Rest In Peperoni Sporting, we will miss you.

A corrida às armas

Bem, agora falando um pouco do meu clube do curaxaum o grande Benfica. Bem, após o tremendo insucesso da época passada, o Benfica decidiu atacar com tudo o mercado e gastar o que andou a reservar até agora. Com a saída iminente de grandes figuras do plantel, LFV decidiu colmatar todas estas saídas, e ainda as da época passada com contratações pesadas tais como Castillo, Conti, Ferreyra, Odysseas etc e ainda ficamdo associado a grandes promessas do futebol ( essencialmente argentino) tais como Caricol, Pavon entre outros. Fala-se também no aproveitar da situação do rival e a associar-se a jogadores como Gelson Martins e Bruno Fernandes, que estão muito perto de rescindir. Esta corrida ao mercado traduz-se numa corrida ao título e a uma campanha europeia promissora. Esta corrida pode ser extremamente eficaz, visto que o clube está num momento hegemônico e equilibrado tanto a nível econômico quer a nível de direção.

Desmantelamento do plantel portista

Como qualquer equipa campeã em Portugal, a perda de elementos essenciais do plantel é simplesmente inevitável, e o Porto está a sofrer isso na pele. O mais provável é o episódio do Benfica 2017-2018, após perder elementos essenciais a equipa demorou demasiado para se conectar o que levou a uma decadência em termos de performance. Mas para não ficar atrás o Porto já começou a pesquisar elementos para colmatarem as saídas desta época, estando associado a jogadores de grande qualidade como Bruno Peres. Não vai ser uma época de todo fácil para o Porto, mas talvez possa aprender a lição com o Benfica e evitar que este episódio se repita. No geral podemos contar com uma época muito competitiva, mas em especial a partir da 2° rodada.

O aparecimento de um novo grande nacional?

O aparecimento de um novo grande português parece inevitável desde que Salvador tomou posse da direção do Braga. Após uma série de épocas de excelência por parte da equipa minhota, o investimento em promessas nacionais como João Novais, os irmãos Horta etc associado a um excelente treinador como Abel Ferreira, pode representar ao final de tantas tentativas, finalmente o surgimento de um novo grande. Esperemos que dessa forma o futebol português se torne mais competitivo, sendo este caso usado como motivação para outros clubes tais como G.D Chaves, clube revelação da liga, Vitória de Guimarães e Marítimo. Falando a nível de marketing e de humor, claramente os estagiários do braga fazem deste Clube o maior nacional, com uma junção de humor e criatividade tremendas a viralizarem e a fazer deste Clube uma sensação nas redes sociais

A criação de mais uma “Guerra Fria”

Coisa que se demonstra inevitável é o regresso da Guerra fria entre clubes portugueses, na busca de um equilíbrio de poder. Esta guerra fria, é essencialmente visível entre Sporting e Benfica, os eternos rivais da segunda circular, onde cada um alfineta outro, mas no caso do Sporting uma posição mais agressiva por parte do Sporting, com acusações graves e processos em tribunal, casos do CashBall etc.

Caso queiram saber um pouco mais sobre este tema e ver o passado como exemplo basta rebobinar os melhores momentos do Programa prolongamento, cmtv e um filme excecional, “Good Morning Vietnam”.

A história é um loop vicioso, onde a única coisa que muda são os participantes e os recursos, mas mudanças ? Nada.

[Total: 1    Average: 5/5]