Já não há amor para o FC Porto…

A caminho de Alvalade, só havia um pensamento na mente de todos os portistas. Vamos ao Jamor! Cantava-se e a alegria espalhava-se. Era uma sensação brutal. A vitória no Dragão dava-nos alavanca assim como a vitória no ultimo fim de semana. Tudo corria a nosso favor.

No momento em que o jogo começou, percebeu-se que o FC Porto estava melhor. Controlava o jogo como queria e o ritmo era exatamente como nós queríamos. Com calma e sem grandes problemas. Infelizmente, com o decorrer do jogo, certos pormenores fizeram-se notar.

A catástrofe dos 85min

O futebol é ingrato em níveis que ninguém consegue explicar. Durante 85min víamos o FC Porto relaxado e em cima do resultado. A controlar o jogo todo. E, curiosidades ou não, uma perda de bola que acaba num cruzamento a bater na cabeça de Herrera vai para canto… Relembrando o que já se passou, é golo.

Mas o pior, é que minutos antes, o Reyes entra e as substituições são esgotadas. Oliver vem para o banco, esgotado. Marega também lá estava. Gonçalo Paciência também. Mas nem foi a entrada de Reyes que nos fez perder o controlo do jogo e caminhar para o desastre. O que nos fez deixar de lado todas as possibilidades de fazer golo foi mesmo a entrada de Aboubakar. E então o Gonçalo? Não merece mais? Todos sabemos que sim…

Os penaltis são a morte do artista

Querem eliminar o FC Porto? Levem-nos a penaltis que nós fazemos o resto. Não é ingrato, logo a seguir ao golo do Sporting, a reação do FC Porto acabar na barra? 3 vezes seguidas à barra, entrando na terceira mas com fora de jogo na segunda? É. Chamem-lhe azar, chamem-lhe tudo. Mas não podemos chamar-lhe de trabalho durante o jogo.

A partir do momento que Aboubakar entra, o nosso caudal ofensivo caiu. Completamente de rastos e sem nada para nos levantar. Gonçalo merecia entrar? Sim. Merecia ganhar o lugar? Sim. Merecia mais que Abou? Sim. Já marcou ao Sporting? Sim. Perante tantos “sins”, onde é que andou o raciocínio lógico do nosso mestre? Do nosso treinador que pega numa equipa de dispensados e faz uma família? Realmente todos têm de aprender, e Sérgio ontem teve de aprender.

Os erros acabaram nos penaltis. Mas o pior de tudo, o erro maior: Marcano. Depois de ter feito o que fez no golo dos leões, quem é que podia ser o primeiro a marcar o pénalti? Marcano pois claro. Não percebo como é que Marcano foi o escolhido para começar. Não percebo… Porque a verdade é que ele estava destinado a falhar depois do jogo que fez. E falhou… Patrício não defendeu. Marcano é que falhou.

Adeus Jamor…voltamos a ver-nos para o ano. Porque este ano só nos vamos ver nos Aliados! Vamos carago!

[Total: 0    Average: 0/5]