Um resultado fantástico para uma exibição bastante decepcionante. A técnica individual, a frieza e a eficácia acabaram por serem as armas que valeram os três pontos. O público do Dragão tremeu. Eu tremi. Foi sofrido, mas soube bem! Uma análise para aqueles que mais gostam de nos acompanhar.

Casillas

Depois de ver aquele golo do Leão, eu pensei que Casillas nunca mais seria o mesmo. Não foi bonito sofrer e fechar as pernas daquela maneira. No entanto, perante tudo e todos, depois daquele sofrimento, decide salvar-nos. Montero tentou, mas San Iker Casillas não vacilou. Grande defesa ao estilo de cowboys que não vacilam na hora de atirar. Obrigado Carbonero por continuares a dar-lhe que fazer com os filhos.

Diogo Dalot

Miúdo tenro, miúdo sortudo. Deixou o Leão fazer o golo num momento que estava perdido taticamente e posicionalmente. Quase fazia um pênalti, mas acabou por ser uma tentativa de simulação. No fim, acabou por ser um louco a festejar. Como se não estivesse em campo. Vê-lo a agarrar Casillas daquela maneira é demonstrativo da vontade dele de tocar em vários títulos. Foi bonito.

Marcano

Que comandante. O FC Porto ganhou um novo patrão, respeitoso e cheio de habilidade. Não treme, salta lá no alto e mata de cabeça. Voo para fazer o golo e fez. Não temeu. Vamos lá despachar a renovação que não é preciso mais nada.

Felipe

Imaginem um Bulldog. Está a guardar a casa e de repente os gatos aparecem. Ele começa a correr e a ranger. Os gatos vão fugindo, fugindo e afastando-se até que acabam por ir embora. É mais ao menos isso que acontece quando os avançados chegam à defesa do FC Porto. Por muitos anos Felipe.

Maxi

Fez mais km este jogo que o campeonato todo. A velocidade não é a mesma, a destreza também não e a força também não. Mas continua a ser aquele Maxi matreiro, inteligente e com muitos anos nas pernas. Este Maxi é fantástico e apesar de eu vê-lo a correr atrás dos avançados como um desalmado, é triste vê-lo a não conseguir parar a ninguém. No entanto, faz sempre falta para fazer faltas.

Sérgio Oliveira e Herrera

Foi um FC Porto morto a meio campo. A cavalagem do Sporting entrou por lá dentro e os médios do FC Porto pareciam anões. Não conseguiam parar. Não faziam faltas. Pareciam gatinhos inofensivos. Foi um desastre. Safa-se Herrera no meio de milhares de passes falhados com o cruzamento para a área que deu o golo a Marcano. Safa-se o Sérgio pelo penteado que consegue manter durante 90 minutos.

Otávio

Gosto muito deste miúdo. É aquele baixinho que todos querem no grupo. Apesar de pequenote é batalhador, não se deixa intimidar e está sempre pronto para acertar o passo a alguém. Depois é um gajo que é muito bom de pés. Não foi fácil travar o meio campo dos leões, mas chegou para vencer.

Brahimi

Vou definir isto em dois momentos. Primeiro momento: “Oh não, ele não chutou de primeira, fogo Brahimi %&%#%$#%!!!$%$$”
Segundo momento: “GOLOOOOOOOOOOOOOO!!!!!! VAMOS BRAHIMI!!!!!! É ASSIM MESMO CARAGO!!!!!!”

Marega

Oh Marega, oh Marega! Recupera rápido, oh Marega!
Quando damos por nós a ficar completamente aflitos com a lesão de Marega percebemos que, das duas uma: ou Sérgio Conceição é sem dúvida uma reecarnação de Cristo e faz milagres brilhantes que nos fazem ver Marega como a junção de grandes craques num, ou então percebemos que não temos mesmo um plantel decente para substituir o motor. É triste.

Gonçalo Paciência

Este miúdo sabe. Tem altura, tem físico, tem técnica e fez uma assistência primordial e à medida. Grande jogo no meio dos centrais do Sporting. É a altura certa para dizer: vamos ter Paciência. (Até porque nos próximos jogos é ele e Abou).

Reyes

Caga nisso.

Aboubakar

Foi tão bom vê-lo a entrar em campo. Foi tão mau vê-lo a fazer Marega ter uma rotura muscular. A vida são dois dias, e a do Aboubakar no jogo foram dois lances.

Corona

Please. Still not found.

Realmente foi um jogo com uma comédia extraordinária. Vamos ser campeões e já cheira a Aliados!

[Total: 3    Average: 5/5]