Bruno Fernandes dá vida a um Leão moribundo

Haja Bruno Fernandes, porque no reino do Leão pouco se aproveita nestes dias. Com uma equipa claramente inferior ao rival Benfica, o génio do português permite que os sportinguistas ainda possam sonhar com uma chegada à final da Taça de Portugal.

Num jogo que começou exatamente como acabou o Dérbi lisboeta de há apenas três dias, com o domínio benfiquista, o Sporting fez o que se pedia numa meia-final a duas mãos, marcar um golo fora, e pode, mesmo no final da partida, ainda reclamar de um quase golo mal anulado pela equipa de arbitragem. Mas já vamos lá.

Esqueceram-se de Bas Dost?

Este dérbi começou logo por uma grande novidade no onze do Sporting: a ausência inesperada e pouco explicável daquele que é o goleador de serviço, Bas Dost. As questões físicas não foram o motivo para esta decisão de Keizer, visto que o avançado holandês até entrou bem no jogo quando já só faltavam cerca de 20 minutos de jogo.

Porém, esta não foi a única decisão pouco conseguida de Keizer, visto que a estreia de Ilori e a presença do trapalhão Bruno Gaspar na linha defensiva do Sporting permitiram que o Benfica conseguisse criar perigo desde o primeiro minuto de jogo, sem grandes dificuldades.

Com uma entrada dominadora, que fez relembrar o jogo para o Campeonato, não foi com grande surpresa que o Benfica, depois de uma boa jogada coletiva, conseguiu isolar Gabriel para este, depois de 23 jogos em branco, marcar o seu primeiro golo pelo Benfica. Final está a justificar o forte investimento!

O tempo passava e o Sporting nunca conseguiu criar o mínimo perigo para o também bastante trapalhão Svilar. Chegávamos assim ao intervalo e a sensação é que bastava o Benfica acelerar um pouco o seu processo ofensivo para conseguir matar o jogo, mas também a eliminatória na primeira mão.

Bruno Fernandes só pode estar perdido

Nos primeiros minutos do segundo tempo vimos precisamente um Benfica com vontade de marcar o segundo golo e um Sporting um pouco mais aberto para criar desequilíbrios. Num passe de génio de Bruno Fernandes, Wendel isolou-se perante Svilar e, num gesto técnico que só vemos nos iniciados, o médio brasileiro atirou para a bandeirola de campo, desperdiçando desta forma a melhor hipótese do golo leonino.

Mesmo com alguns calafrios no seu setor defensivo, o Benfica acabou por conseguir marcar um golo depois do remate inofensivo de João Félix ter sido desviado por Ilori para a baliza sportinguista. Este golo na própria espelhou bem a exibição desastrosa de Ilori, que aos 2 minutos de jogo já tinha um amarelo.

Numa última tentativa de tentar salvar esta meia-final, Keizer colocou toda a carne no assador, colocando em jogo o Bas Dost e Diaby. Porém, foi o melhor jogador do Sporting a desequilibrar novamente. Bruno Fernandes, à Zidane, conseguiu cavar uma falta central após uma roleta deliciosa. A 30 metros da baliza, o craque português colocou a bola no ângulo da baliza, não dando hipóteses nenhumas de defesa a Svilar, que ainda por cima está mal posicionado.

Quando o jogo parecia estar destinado a terminar no 2-1, Bas Dost colocou a bola no fundo da baliza aos 90 minutos. Contudo, o árbitro considerou que um toque em Svilar, fora da pequena área, foi suficiente para apitar e não permitir o golo do Sporting. Revendo as imagens, parece claramente que este seria um golo legal do Sporting, fazendo-nos questionar porque motivo o árbitro não deixa o lance terminar para depois tirar todas as dúvidas com o VAR? Veremos em abril, sim só em abril, se este lance não vai mesmo decidir esta meia-final.

Gostou deste artigo? Por favor, compartilhe! E deixe o seu like no nosso Facebook! É muito importante para nós. Além disso, pode também, se desejar receber as crónicas em primeira mão, subscrever a newsletter (não fazemos spam).

[Total: 2    Average: 5/5]