Pior FC Porto do ano precisou de azar para não ganhar

 O FC Porto que surgiu esta noite, no estádio do Sporting de Braga, foi o pior desta temporada. Espante-se, só aos 38 minutos de jogo a equipa de Sérgio Conceição conseguiu fazer o primeiro remate, que por sinal nem sequer foi em direção à baliza, algo impensável no Porto atual.

Num jogo muito morto, principalmente até ao último quarto de hora de jogo, o FC Porto, mesmo a meio gás, teve muito azar de não conseguir quebrar a mala pata e trazer, pela primeira vez na sua rica história desportiva, a Taça da Liga do bolso. Mas de que azar falamos?

Penálti escusado e treino que só atrapalhou

O FC Porto, apesar de não ter conseguido realizar uma boa primeira parte, foi sempre mais perigoso no decorrer da segunda metade do encontro. Muito atrapalhado, Herrera falhou uma recarga fácil para dar vantagem à equipa portista. Contudo, numa situação muito semelhante, aos 79 minutos, Fernando, à ponta de lança, não facilitou na recarga a um remate espontâneo do mesmo Herrera.

Mesmo assim, tudo indicava que o campeão nacional iria conseguir segurar o resultado nos 10 minutos que faltavam. Porém, e graças a um penálti escusado cometido por Óliver Torres, já nos minutos de compensação, com a intervenção da dupla no VAR, Bas Dost conseguiu assegurar que o Sporting iria lutar pelo título nas grandes penalidades.

Chegados aos penáltis, única forma que os responsáveis pela Taça da Liga, arranjaram para desempatar um jogo de 90 minutos, e os adeptos portistas só poderiam estar confiantes. E isto porquê perguntam vocês?

Porque Sérgio Conceição confessou que só tinha chegado atrasado à conferência de imprensa, no dia anterior, porque os seus jogadores tinham treinado os penáltis. Ora, com o treinador do FC Porto a observar a técnica dos seus jogadores, com certeza foram os melhores escolhidos para bater nesta final, certo? Errado.

Que fetiche é este dos centrais e os penáltis?

Por estranho que possa parecer este fetiche de colocar os centrais a bater penáltis nas finais não é só de Sérgio Conceição, mas a verdade é que ele teve a vantagem de os observar no treino do dia anterior.

Ainda assim, avançaram Militão e Felipe para a conversão dos penáltis. O resultado foi o mesmo, as bolas nem sequer foram em direção à baliza. Vale a pena realçar que Keizer também não foi virgem neste fetiche, visto que também Coates não acertou na baliza portista.

Com Hernâni a permitir uma boa defesa de Renan, que foi novamente decisivo no desempate, o Sporting foi mais eficaz e conseguiu levantar a Taça da Liga, sendo agora considerados “Campeão de Inverno”, mesmo que esteja a anos luz do FC Porto no campeonato.

Deixamos aqui uma nota de perplexo com a regra da Taça da Liga em obrigar as equipas a jogarem com pelo menos dois craques formados no clube. Em que é que isto beneficia a verdade desportiva? Esta imposição obrigou Conceição a iniciar André Pereira nos dois jogos, algo que não ajudou em nada a produtividade da equipa. Os jogadores de qualidade vão jogar sempre, quer sejam portugueses ou chineses.

Gostou deste artigo? Por favor, compartilhe! E deixe o seu like no nosso Facebook! É muito importante para nós. Além disso, pode também, se desejar receber as crónicas em primeira mão, subscrever a newsletter (não fazemos spam).

[Total: 3    Average: 4/5]