Crónica do jogo FC Porto vs V. Guimarães

Terminou com uma vitória para o V. Guimarães. Assim foi este épico jogo no estádio do atual campeão nacional onde o Vitória, 23 anos depois, voltou a levar de vencida o Porto em pleno estádio adversário.

Na semana anterior frente ao Feirense, Luís Castro decide jogar em casa com dois médios mais defensivos, algo que simplesmente não deu para perceber. Surpresa maior quando vejo o 11 apresentado no Dragão, onde foi de peito feito num jogo onde talvez esperasse um Vitória mais defensivo. Contudo, a meu ver, Luís Castro com a estrelinha da sorte leu o jogo na perfeição.

Jogo FC Porto vs V. Guimarães

Com Douglas na baliza, Sakho (Dôdô lesionado), João Afonso Pedrão e Florent na defesa, Wakaso André Joseph na zona intermediária e Teixeira Tyler Boyd e Whelton no ataque, o Vitória fez uma primeira parte onde se deixou superiorizar pelo adversário que tinha outros argumentos.

Apesar de merecida a desvantagem ao intervalo, penso que, noutro prisma, podia muito bem ter chegado ao intervalo empatado a uma bola onde o VAR supostamente falhou (conveniente) e deixa passar em claro um pénalti. Por outro lado, o segundo golo do FC Porto é um roubo autêntico fazendo com que o Vitória chegasse ao intervalo com uma desvantagem de dois golos!

Realce ainda na primeira parte para a lesão de Joseph e a entrada de um dos homens que mudou o jogo Tozé!

Segunda parte do jogo

Penso que o intervalo fez bem ao Vitória, onde os jogadores devem ter sentido uma revolta enorme. Esta revolta fez com que se unissem ainda mais, pois a segunda parte tem uma história completamente diferente.

Nos primeiros 15 minutos, o Porto simplesmente ia gerindo a vantagem, enquanto o Vitória tenta aos poucos chegar à área adversária sem efeitos práticos. Surge então nova substituição, sai o apagado Tyler entrando Ola John e praticamente na sua primeira arrancada é travado em falta dentro da área. Desta forma, foi assinalado penalti, convertido por André e que relançou o Vitória no jogo, fazendo renascer a esperança de pontuar no Dragão.

Quando se esperava uma reação do Porto, o Vitória continua por cima e consegue fazer o golo da igualdade a faltar 15 minutos para o término. A jogada iniciou-se pelo lado esquerdo, onde Maxi não consegue acompanhar Florent, sai um cruzamento atrasado onde aparece Tozé e faz golo.

Logo quando todos pensavam que Luís Castro ia defender, o resultado eis que volta a surpreender. Talvez tenha sentido que o Porto estava um pouco à toa no campo e, por isso, decide atacar o jogo. Assim, tira um médio Teixeira (boa exibição) e lança um extremo Davidson que acabou por fazer o terceiro golo.

Até ao fim, o FC Porto carregou e muito encostou o Vitória à sua defesa, valeu Douglas, João Afonso e o poste. Apito final, reviravolta histórica num grande jogo de futebol com duas grandes equipas. A arbitragem esteve muito mal em lances capitais no jogo. Contra tudo e todos, foi uma grande vitória.

Nada de loucuras

Mas atenção, não podemos entrar em loucura. Não eramos os piores quando perdemos com o Feirense, nem somos os melhore por ganhar no Dragão. De nada vale esta vitória se não tiver seguimento já na próxima sexta!

[Total: 2    Average: 5/5]