FC Porto vs Varzim | Ninguém esperava perder, mas…

O tempo aguentou-se, o frio apesar de forte até se suportava e o ambiente estava montado para mais um jogo. Todos esperávamos uma vitória que, ainda que pudesse dar alguma luta, seria garantida. Porém, não foi bem assim. O jogo de FC Porto vs Varzim não foi, sem dúvida, indicado para pessoas com problemas cardíacos.

De facto, o final foi feliz (tal como previsto) para os Dragões, mas suaram bem e deram muitos sustos aos adeptos. O pior susto foi mesmo ver a equipa de Iker Casillas (que foi poupado) a jogar na primeira parte e o passe de Sérgio Oliveira aos 75 minutos. Que desgraça foi aquela?

FC Porto vs Varzim

O jogo foi tumultuosamente igual até a entrada de Corona na segunda parte. Clubismo a parte, o Varzim deu mais prazer de ver jogar. Os “miúdos” do Varzim, que à beira do plantel do FC Porto não valem nada, deram um brilharete na primeira parte e até ao fim do jogo nunca se deixaram ir abaixo.

Primeira parte do jogo

A aventura começou com o plantel iniciar a entrar nos relvados. Sem surpresa, muitas estrelas foram poupadas, sendo que alguns jogadores menos experientes tinham a sua oportunidade de demonstrar a sua garra.

Numa frase descrevo a primeira parte para o FC Porto: ninguém esperava o que viu.

Digo isto, porque jogadas inteligentes e bem pensadas, apenas se viu uma ou no máximo duas nossas. Por outro lado, o Varzim mostrou-se mais forte neste campo e conseguiu, depois de muito bater para estatística, um golo aos 30 minutos. Sim. O FC Porto esteve a perder contra o Varzim. Isto aconteceu e não foi bonito de ver, tanto que pouco depois começaram logo a aquecer Soares, Óliver e Corona. Esperava eu e muitos que um deles substituísse o Hernâni… mas isso não aconteceu.

Antes do intervalo, o FC Porto lá conseguiu atenuar os ânimos com um bom golo de Bazoer. Ainda bem que nesse lance Hernâni deixou (provavelmente involuntariamente) a bola a Bazoer que finalizou, com classe, para dentro da baliza do Varzim. Quando o apito soa, ambas equipas seguem para os balneários e há um receio generalizado em todos os adeptos. Se o jogo fosse continuar daquela forma, poderíamos mesmo perder a continuação da Taça da Liga em casa… e contra um clube de segunda divisão.

Segunda parte do jogo

Entra o Corona e, subitamente, a esperança pela vitória sobe. Contudo, a esperança foi algo que temporária porque o Hernâni continuava em campo, apenas foi mudado de posição de extremo para lateral. Não querendo implicar com ele, podia até ser que fosse jogar melhor nesta posição… não o fez.

Diga-se de passagem, a segunda parte foi bem melhor, com muito mais lances, mais procura de jogo e, fundamentalmente, de golo. O auge desta segunda parte e do jogo foi mesmo quando Sérgio Conceição percebeu que isto era para ganhar. Colocou em campo Tiquinho Soares que marcou logo passados escassos minutos e Óliver que não tardou a construir excelentes jogadas para golo.

Destaque negativo para Sérgio Oliveira que ofereceu um golo ao Varzim com um péssimo passe na defesa. Foi um erro crítico que não se espera nesta equipa e de um jogador com o seu valor. Não contente, fez ainda mais alguns maus passes. Contudo, lá se conseguiu redimir com um remate à campeão que quase somou +1 no pontuador, mas não entrou nas redes.

O trio Corona, Óliver e Soares não só fez a diferença, como foram peças fundamentais neste jogo. Para quem assistiu ao jogo, certamente viu que a mudança no plano da equipa foi radical. A velocidade com que as jogadas começaram a ser construídas trocou as voltas por completo à defesa do Varzim. Não fosse aquela última linha de defesa, o guarda redes do Varzim, que brilhou no Dragão e o não tínhamos só marcado 4.

Gostou deste artigo? Por favor, compartilhe! E deixe o seu like no nosso Facebook! É muito importante para nós 😀

[Total: 4    Average: 4/5]