Crónica Marítimo vs FC Porto | Marega redimiu-se

Na nona jornada do campeonato de futebol, o campeão nacional foi visitar o Marítimo à Madeira. Com efeito, os resultados nos últimos anos faziam antever um jogo muito difícil para os dragões. De facto, nos últimos 6 anos, o Porto só tinha ganho uma vez (no ano passado, e esse jogo praticamente definiu o Futebol Clube do Porto como novo campeão nacional). Na verdade, nem o mau momento da equipa Maritimista fez pensar que seria mais fácil este ano, como disse o mister Conceição na antevisão a esta partida.

Em relação ao 11 das duas equipas, o Marítimo fez uma autentica revolução na equipa, apresentando um esquema pouco vista esta época, com 3 centrais. A ideia de Cláudio Braga passava por anular os 2 avançados do Porto, Marega e Soares, conseguir retirar a profundidade ao jogo do FC Porto e, ao mesmo tempo, atacar a baliza de Iker Casillas através de transições. O Futebol Clube do Porto, por sua vez, repetiu o 11 que defrontou semana passada o Feirense, mantendo Óliver e Corona de inicio em vez de Otávio e Herrera.

Primeira Parte | Marítimo vs FC Porto

Nos primeiros 45 minutos, os jogadores do Porto não conseguiram imprimir o jogo que habitualmente fazem, claramente surpreendidos com a estratégia do Marítimo. Assim, praticamente não criaram perigo nenhum à baliza defendida por Amir. Neste sentido, pedia-se mais velocidade aos homens de Conceição, principalmente, velocidade de execução. Pior do que isso, através de uma atrapalhação na defesa portista, permitiu que Joel chegasse com perigo a baliza do Porto e Iker defende como pode.

Segunda Parte | Marítimo vs FC Porto

Na segunda parte, os jogadores do Porto vieram com uma mentalidade diferente e com muito mais determinação de levar de vencida este Marítimo. Dito isto, Óliver subiu na segunda parte muito de rendimento, deixou as amarras impostas pelo mMarítimo e o Porto começava também a soltar-se cada vez mais.

Aos 64 minutos, após um puxão do Central do Marítimo a soares, deu a possibilidade do Porto se adiantar na Madeira através de um pontapé de grande penalidade. Marega teve a oportunidade nos pés, mas falhou com uma defesa soberba de Amir.

Conceição que há imagem do que tinha feito contra o Varzim, voltou a abdicar de um lateral ( Maxi no caso), e fez entrar Otávio. Corona fez de Ala direito.

Face ao resultado continuar empatado a zeros, Sérgio Conceição queria mais e não ia esperar muito. Por isso, Otávio entrou aos 67 minutos e 3 minutos depois, numa jogada fantástica permite que Otávio surja isolado para a baliza de Amir e desta vez, ao contrário de Marega, Otávio não desperdiça. Estava aberto o marcador na Madeira. Porém, não ia ficar por aqui.

Novamente 3 minutos depois, aos 73 minutos da partida, e logo após o Marítimo ter começado a arriscar um pouco mais para correr atrás do prejuízo, Óliver consegue recuperar a bola no meio campo e, num bom contra ataque dos dragões, permitiu que a vantagem do Porto aumentasse para 2-0, golo de Marega. Marega ainda pediu desculpa pelo penálti falhado, mas com o golo e a vitória dos Dragões, os adeptos portistas já nem se lembravam quase que o Maliano havia falhado um penálti.

Por fim, até ao final, o Porto consegue controlar muito bem o jogo e o resultado já não sofreu mais alterações. Destaque ainda, pela negativa, para a expulsão de Danny que depois de dar uma cotovelada a Otávio ainda protestou junto do arbitro quando já tinha amarelo. Esperava-se mais maturidade de um jogador que tem muita experiência internacional.

Destaques:

Otávio: Furacão Otávio! O homem começa o jogo no banco, mas quando Conceição percebeu que precisou dele para ganhar a partida, Otávio quis mostrar que o treinador estava certo. Fez um golo, uma assistência e ainda contribuiu para a expulsão de Danny.

Óliver: Mais uma boa exibição do médio espanhol. A jogar assim será difícil Herrera voltar ao 11 portista. Os adeptos já sabiam que Oliver era um diamante por lapidar e Conceição esta a lapida-lo. Este já era um dos médios com mais capacidade em termos de passe e visão de jogo do campeonato português, mas Conceição queria que o médio espanhol tivesse mais intensidade no seu jogo, mais capacidade de recuperar a bola e mais poder físico para os duelos. Provou que não estava errado. Como está a crescer o pequeno grande Óliver!

Marega: O Maliano voltou a fazer das suas frente a sua primeira equipa que representou quando chegou ao futebol português. OMaliano teve a oportunidade de abrir o marcador, aos 64 minutos através do pontapé de grande penalidade, mas falhou. Contudo, a sua prestação não haveria de ficar por aqui. Pouco depois após um contra ataque conduzido por Óliver, o Maliano havia de inscrever o seu nome na lista de marcadores do encontro.

[Total: 3    Average: 5/5]