FC Porto à Campeão, sem ressaca

Na ressaca da grande noitada de Éder Militão, o FC Porto foi a Tondela jogar à campeão, vencendo confortavelmente o seu jogo e garantindo mais uma semana no topo da classificação do Campeonato Nacional.

Óliver Torres e Pepe foram chamados ao onze inicial para ajudar a colmatar a ausência forçada de Danilo por lesão e a ausência de cabeça de Éder Militão na noite passada. E, os dois com grande categoria, marcaram os dois primeiros golos da equipa, ajudando de forma decisiva o FC Porto a ganhar este jogo contra o Tondela, de uma forma muito assertiva e natural.

Sem ressacas, o FC Porto entra a todo o gás

Sabendo da necessidade de manter a distância pontual para o rival Benfica, o FC Porto não se sentiu diminuído pelas ausências neste jogo, começando a partida a todo o gás. Logo nos primeiros momentos do encontro, Felipe respondeu a um canto e viu o golo ser negado apenas pelo guardião do Tondela.

Com um claro sistema de 4-4-2, o FC Porto beneficiou muito da qualidade e verticalidade dos seus médios, que conseguiam chegar perto da área adversária sem grandes dificuldades. Na cobrança de um livre, Óliver Torres encontrou Herrera que, apesar de não ter conseguido finalizar, viu Pepe, à meia volta, fazer um remate rasteiro que abriu o marcador em Tondela.

Com o claro domínio do encontro desde o primeiro segundo, a equipa do FC Porto continuava a criar perigo, mas sem demonstrar muita ansiedade para matar o jogo. De facto, nos restantes 35 minutos da 1ª parte, o jogo ficou marcado por algumas entradas duras e um futebol, por vezes, muito atabalhoado.

A segunda entrada matou o jogo

O FC Porto saiu claramente dos balneários com um único objetivo: matar o jogo o quanto antes. Com novamente uma entrada a todo o gás, fazendo lembrar a primeira parte, o FC Porto conseguiu realizar várias transições rápidas que criavam dificuldades à defesa do Tondela.

Porém, foi preciso o abre-latas de serviço para conseguir acabar com as esperanças dos adeptos tondelenses. Óliver Torres, ainda dentro dos primeiros 10 minutos da etapa complementar, tirou um verdadeiro coelho da cartola e com um remate lindíssimo e colocado fora de área marcou o melhor golo da noite. A bola foi tão colocada que beijou o poste e só entrou nas redes do outro lado.

Numa última tentativa, o Tondela teve algum ascendente nos minutos seguintes, tentando de tudo para conseguir criar algum perigo próximo da baliza de Iker Casillas. Contudo, foi precisamente no melhor momento do jogo do Tondela que o FC Porto fixou o resultado final.

Aos 74 minutos, Brahimi, que esta noite começou no banco, aproveitou uma bola desviada pela defesa do Tondela, pingando próximo da baliza, para assistir com classe Herrera que apenas teve que encostar para o fundo das redes.

Com esta vitória, o FC Porto tem como garantida a liderança para o jogo contra o Benfica no próximo sábado, dia 2 de março. Num jogo que pode muito bem decidir o campeão deste ano, os portistas sabem que o Benfica vai ter que jogar para ganhar no Dragão. Por isso mesmo, os espaços e as oportunidades vão surgir.

Gostou deste artigo? Por favor, compartilhe! E deixe o seu like no nosso Facebook! É muito importante para nós. Além disso, pode também, se desejar receber as crónicas em primeira mão, subscrever a newsletter (não fazemos spam).

[Total: 2    Average: 5/5]