Olá Pedro, é um grande prazer podemos ter-te aqui connosco. Depois de já termos falado com o teu filho, estamos ansiosos por falar contigo também.

Então como é que explicas a paixão pelo desporto rei?

A minha paixão pelo futebol começou sensivelmente coincidindo com a entrada para a escola primária. Como entrei para a escola a meio dos anos 70, as brincadeiras de recreio de eram quase sempre jogar à bola. Não havia grandes entretenimentos mais. Podia-se jogar ao pião, andar às apanhadas, mas eu preferia mesmo a dita futebolada.

Era engraçado porque a tua posição favorita era uma onde muitos não queriam jogar…

Eu adorava ser guarda redes. Chegava a casa com as calças esburacadas, que a minha mãe se apressava em coser umas joelheiras de napa. Se fosse hoje andava na moda. Fazíamos jogos onde eram os miúdos do Benfica (notoriamente em maioria) contra os os outros. Eu jogava sempre pelos outros. Comecei a ser Portista desde que me lembro. O meu grupo de amigos mais próximos eram todos do FCPORTO. Eu até leva pra escola um boné onde escrevia com caneta na pala Fonseca, que era o guarda redes do Porto na época.

Pedro Pinto

Pedro Pinto

Sentes que houve alguma influência para a tua escolha de clube?

Não se pode dizer que fui influenciado por alguém. Como o meu grupo de amigos era maioritariamente Portista foi fácil. E assim me mantive fiel ao longo dos anos sempre com a paixão pelo FCPORTO, mas também tenho de confessar que desde os finais dos anos 80 início dos anos 90 também me apaixonei por outro clube.

E que clube foi?

O Vitórinha. O Vitória de Guimarães. É outro clube apaixonante. Ir ao Afonso Henriques é qualquer coisa inexplicável. Quando fui estudar para o Porto fiz boas e grandes amizades com pessoas de Guimarães que me meteram em boa hora o bichinho Vitória. É o meu segundo clube se assim se pode dizer.

Agora falando do primeiro jogo ao vivo. Qual foi?

O primeiro jogo que vi ao vivo foi no velhinho Estádio das Antas, quando o nosso Bi-bota de ouro Fernando Gomes foi vendido ao Gijon das Astúrias de Espanha, e houve um jogo amigável entre ambos clubes. FCPORTO/ Gijon.

Há sempre um jogo marcante, pela positiva e pela negativa. Queres nos contar os dois jogos mais marcantes nessas vertentes?

É claro que o jogo mais marcante pela positiva foi o 5/0 contra o Benfica no Dragão.Lindo, brilhante, fantástico!!!! Poderia também falar de outro 5/0 ao Benfica, este na Luz, um jogo da Super taça, ainda jogava o Jardel. Foi histórico também. O jogo marcado pela negativa foi outro5/0. Desta vez derrota. Era o treinador o Quinito e o FCPORTO foi à Holanda numa competição europeia jogar contra o PSV. O Quinito dizia que quem treinasse o Porto arriscava-se a ser campeão. Que era o Gomes é mais 10. Enfim, fomos lá ser humilhados.

O Crónicas da Bola é conhecido pelos adeptos fervorosos que tem. Consideraste um deles?

Já fui mais fervoroso do que hoje. A idade vai me tirando essa rebeldia. Mas vou ao Dragão ver a maioria dos jogos. Embora more a cerca de 150 Km do Porto, isso não me impede de ir às quartas europeias à noite e voltar assim como aos fins de semana, se o jogo não coincidir com o Jogo do meu filho Hugo.

Fazer 150Km não é para todos. Realmente é muito especial ser um adepto assim. Deve ser fácil o teu filho seguir o exemplo do pai…

A paixão pelo clube não se impinge, adquire-se. Tento levar alguns amigos do meu filho ao Dragão e ao Afonso Henriques. Com alguns já resultou. Já houve 2 ou 3 amigos do Hugo que se converteram ao Portismo.

Esperemos que os pais dos amigos do Hugo não sejam do Benfica, se não isso não seria nada bom! (risos) E com aquelas discussões típicas, como é que lidas com elas?

Lido muito bem com as discussões de café. Não entro em conflitos com ninguém. Digo a minha opinião e ouço a dos outros, e amigos como antes.

Para terminar, sabemos que és Médico Dentista e tens a oportunidade de receber um jogador especial na tua clínica. Queres falar-nos como isso começou e o bom orgulho que existe em receber esse jogador?

Sim é verdade. O Sérgio Oliveira já me deu o prazer de ser meu paciente na minha clínica. O Sérgio é um grande amigo de um primo meu que lhe recomendou a minha clínica. E foi assim que aconteceu a sua escolha pela Clínica Dentária do Coreto e que me deu muito orgulho poder tratar um Portista dos puros!!! É um grande jogador e um grande ser humano. Também o Licá já me deu a oportunidade de o tratar como paciente. Igualmente um amigo e ser humano fantástico.

[Total: 11    Average: 3.8/5]