Esta escalada vai ficar na história do FC Porto

O que o FC Porto conseguiu fazer neste último ano e meio pode muito bem ser uma das maiores obras de Pinto da Costa. Quando ninguém esperaria, este FC Porto é um dos mais dominadores nos últimos vinte anos, internamente, mas também entre os tubarões da Europa.

Foi a 9 de junho de 2017 que o jornal desportivo “O Jogo”, informou que o “FC Porto está sob vigilância até 2020 após falhar fair play financeiro”. Desde esse dia, muitos portistas temerem que este controlo da UEFA, que nunca tinha acontecido em Portugal, iria impossibilitar que a equipa de futebol pudesse construir um plantel forte. Porém, Pinto da Costa provou mais uma vez a sua excelência, evitando aquele que é um dos maiores pesadelos do Universo portista: um possível penta para o Benfica.

Uma ascensão sem precedentes

No verão de 2017, o FC Porto estava na base de uma montanha vitoriosa benfiquista, que, dadas as circunstâncias, seria muito difícil de escalar. A primeira medida de Pinto da Costa para contrair este cenário foi fazer voltar muitos dos seus talentos que, por algum motivo, não serviam para Nuno Espírito Santo, como foi o caso gritante de Aboubakar.

Desta forma, e sem custos de contratações e empresários, o FC Porto construiu um plantel bastante competitivo, chutando para canto Nuno Espírito Santo que, imagine-se, nem achava que Brahimi, o maior talento do nosso futebol atualmente, tinha cabeça para jogar no FC Porto.

O alquimista que atingiu o topo

Contudo, sem dúvida nenhuma, que a maior medida tomada por Pinto da Costa neste período de escalada foi o dia em que contratou Sérgio Conceição, um verdadeiro alquimista que, com poucos utensílios, conseguiu chegar ao topo num curto espaço de tempo. Com um investimento praticamente nulo, ou melhor apenas a contratação de um guarda-redes por apenas um milhão de euros, que nem sequer jogou, as tropas do FC Porto conseguiram terminar a primeira época no 1º lugar, tirando o sonho do rival em conseguir o seu primeiro pentacampeonato da história.

Quanto a este segundo ano, o alquimista Sérgio Conceição, além de estar confortavelmente na posição de conseguir revalidar o título de campeão nacional, com a sua equipa “low cost”, está de olho na escalada história que o clube pode fazer este ano na Liga do Campeões. Uma chegada às meias-finais, ou até mesmo a uma final europeia, poderia significar o fim definitivo das dificuldades financeiras do clube.

Mesmo que isso não aconteça, uma coisa é certa: o FC Porto saiu de um buraco fundo de uma forma brilhante. 18 vitórias seguidas, marca história no clube e 16 pontos na Liga dos Campeões sem derrotas, igualando mais uma marca histórica do FC Porto.

Finalmente, não nos podemos também esquecer que já neste verão muitos rumores garantem que o FC Porto receberá no mínimo 50 milhões de euros por Éder Militão e que, aquele que não prestava no início desta escalada histórica, o talentoso Brahimi, também pode bater todos os recordes de uma venda exorbitante, provando desta forma o trabalho excecional do alquimista Sérgio.

[Total: 3    Average: 5/5]