Benfica de mãos cheias mete respeito

Após a goleada histórica do Benfica ao Nacional, pois já não ganhava por 10-0 no Campeonato Nacional há 55 anos, não há grandes dúvidas que este Benfica é a equipa em melhor forma em Portugal. Em apenas sete dias, conseguiu encurtar a distância para o FC Porto, ficando somente a um da liderança.

Porém, apesar de ser óbvio que o Benfica atravessa a melhor fase de toda a temporada nas mãos de Lage, não nos podemos esquecer que o Nacional, mesmo antes de ser humilhado em pleno Estádio da Luz, já era destacado como a equipa nacional que mais golos consentia fora de portas. Em contrapartida, o Benfica tinha, e obviamente continua a ter, o melhor ataque caseiro de toda a Liga.

Golos para todos os gostos

De facto, o Benfica não quis perder tempo nenhum em assumir o favoritismo deste jogo, entrando praticamente a ganhar com um golo de Grimaldo aos 34 segundos de jogo. Não é de admirar que muitos benfiquistas atrasados tenham perdido o início da festa do golo neste domingo.

Por incrível que possa parecer, sobretudo para quem marcou 10 golos em 90 minutos, o Benfica precisou de mais de vinte minutos para marcar o segundo. Num passe genial de João Félix, que colocou toda a gente a perguntar se o miúdo tem olhos nas costas, Seferovic na cara do guardião madeirense não facilitou. E como o suíço já sabia como se fazia, precisou de apenas mais seis minutos para marcar o segundo na conta pessoal e o terceiro do Benfica.

Quando toda a gente esperaria que a segunda parte deste jogo seria de descompressão do Benfica, somente a controlar o jogo sem forçar muito a barra, o miúdo João Félix, logo aos 50 minutos de jogo, quis marcar novamente o ritmo do golo, matando completamente esta partida com o quarto golo benfiquista.

Nos 15 minutos seguintes, e já com a equipa de Nacional completamente de rastos, sentindo-se humilhada e incapaz, o Benfica marcou mais três golos. Com verdadeiras passadeiras para a baliza adversária, Pizzi, Rubén Dias e até o menino Ferro marcaram os golos nesta fase.

Com o resultado nuns humilhantes 7-0, o benfiquistas ainda iriam ser presenteados com o espetáculo do regressado Jonas. O veterano brasileiro provou a todos que ainda está aqui para as curvas, marcando dois golos nos 15 minutos que esteve em campo. Veja lá, aos 87 minutos, até o sempre muito pouco eficaz Rafa Silva molhou a sopa neste verdadeiro festival do golo.

Na humilhação, há lugar a respeito

O Benfica, apesar de ter humilhado a equipa adversária, mostrou durante o jogo e, também após o jogo, um enorme fair-play pela equipa do Nacional. Durante os 90 minutos, porque nunca deixou de dar o máximo e após porque os seus jogadores tiveram o cuidado de trocar algumas palavras com os madeirenses que, ainda em cima do relvado, choravam copiosamente após o vexame das suas carreiras desportivas. Muitos golos e uma enorme demonstração de fair-play, isto é que nós queremos no nosso Campeonato!

Gostou deste artigo? Por favor, compartilhe! E deixe o seu like no nosso Facebook! É muito importante para nós. Além disso, pode também, se desejar receber as crónicas em primeira mão, subscrever a newsletter (não fazemos spam).

[Total: 3    Average: 5/5]