Sporting fez o mínimo e Feirense sofre derrota injusta graças a descontos à Benfica

Os jogadores do Sporting sentiram o cansaço e isso refletiu-se no jogo.  Com a lesão do Piccini, Jesus inventou qualquer coisa para lá, e o meio campo do Sporting perdeu-se.

Alan Ruiz, nem dá para perceber como ofereceram 20 milhões por ele, gordo, sem influência e já nem no remate faz a diferença.

Jogo Sporting vs Feirense

Primeiro golo numa altura em que o Sporting dominou o jogo, no inicio da segunda parte. O segundo golo foi tudo lindo parecia um golo à… um golo à Sporting mesmo, cruzamento do Gelson, de outro mundo, simulação do Dost, decisiva, não são todos os avançados com a humildade de Dost, e com o foco na equipa e não em fazer golos, e depois uma finalização do aniversariante que ao meter um chapéu, fez um golo de o tirar.

Dois golos do Feirense fruto de desatenção e falta de agressividade do Sporting, até parece ironia, falta de agressividade numa equipa cheia de argentinos. Mas assim nasceram 2 golos, num canto em que Bruno Fernandes não ataca a bola e permite o cabeceamento do homem do Feirense e numa perda de bola num mau passe de Jonathan Silva salvo erro.

O penálti em tempo de descontos

Depois um penálti marcado a segundos do fim do jogo, e juro que nem entendi como houve tanto tempo de desconto, normalmente até dão a menos, parecia um jogo do Benfica.

Final de mais um jogo

Este jogo foi mais um impróprio para cardíacos, mas este ainda se pode perdoar, meio campo perdido com a lesão do Piccini, e o cansaço a refletir-se em alguns jogadores.

Na defesa, Coates merece destaque, foi o único do eixo defensivo, junto com o William, que não falhava passes de maneira infantil. Marcou um golo e arranjou um penálti lá para o fim do jogo que acabou por decidir, um Patrão.

Mathieu acusou excesso de confiança e o segundo melhor na defesa acabou até por ser Battaglia.

No meio-campo, William Carvalho não estava contente com o atraso no inicio da época, então decidiu também atrasar-se para o jogo e só começar a jogar na segunda parte…

Bruno Fernandes é um deus nada mais a dizer, joga bem quer a 8 quer a 10, apenas precisa de uns minutos para se habituar. Reparem na qualidade do miúdo, até com o cone do Alan Ruiz a dificultar a sua subida no terreno ele consegue fazê-lo.

Gelson e Acuna, não se pode pedir melhor, agressividade de um lado, desequilíbrio do outro. São junto com Bruno Fernandes, os maiores desequilibradores da maior potência nacional.

Destacar também Iuri Medeiros que entrou com raça e ganhou um livre à entrada da área e foi ele que fez a recuperação que depois contribuiu para o penálti que nos deu a vitória.

Bas Dost, podem chamar de meco, podem dizer que está apagado, mas continua a merecer a titularidade. Sempre amigável com os companheiros, se não tivesse chegado há tão pouco tempo, merecia a braçadeira, e se jogasse no Porto era até capaz de ser… Continuando, sem a bola nos pés faz um trabalho espetacular, permite à equipa subir no terreno durante a posse de bola, se é um cone é um cone de ouro. E quando teve oportunidade, cumpriu, com aquela simulação para o golo do Bruno, e com um penálti irrepreensível a ditar de novo a vitória dos próximos campeões nacionais.

[Total: 5    Average: 5/5]