Liga dos Campeões : FC Porto vs Liverpool

Na noite de quarta feira, jogou-se a segunda mão dos quartos de final da Liga dos Campeões no Estádio do Dragão. Confirmou-se o cenário mais esperado, o Liverpool está nas meias finais da melhor competição de futebol de clubes do mundo, mas os adeptos do FC Porto apesar da eliminação podem estar orgulhosos da sua equipa.

A primeira mão, apesar da boa exibição que os dragões rubricaram, tinha deixado o Liverpool mais perto da passagem as meias finais com um 2-0 numa arbitragem mais escandalosas vistas dos últimos tempos (mas isso já não é assunto para esta cronica).

Era muito difícil inverter este resultado no Dragão, mas apesar disso, os adeptos do Porto acederam ao pedido do seu treinador e fizeram do Estádio do Dragão um autentico vulcão, que entrou em erupção aquando da entrada das equipas.

Quanto ao 11 escalado pelos dois técnicos, Kloop fez algumas alterações em relação ao jogo da primeira mão, com as entradas de Wijnaldum, Origi, Robertson e Matip. Já Conceição abdicou do seu avançado, Tiquinho Soares em prol de um meio campo mais povoado. Herrera e Pepe também regressavam para o 11 após cumprirem o jogo de suspensão em Anfield. A surpresa que Conceição reservou para este jogo prendia-se com uma nuance tática já utilizada este ano com Corona a jogar mais por dentro, enquanto que Brahimi e Otávio jogavam pelas alas esquerda e direita respetivamente.

Os primeiros 25 minutos mostraram um FC Porto a fazer por merecer o apoio incansável dos seus adeptos, fantásticos. Empurravam o Liverpool para o seu meio campo e tomaram conta praticamente sempre do jogo. Corona principalmente pelo meio ia causando estragos aos defesas do Liverpool.

Contudo, apesar do domínio dos dragões, mais uma vez foram os Ingleses que na primeira vez que vão a baliza de Iker Casillas alteram o marcador tornando a vida do FC Porto na Champions ainda mais complicada. Sadio Mané fez o golo.

Até ao intervalo, o jogo manteve a toada de domínio azul e branco. Ao intervalo, Conceição deu a companhia que Marega ia pedindo, trocando Otávio por Tiquinho. Porém, os avançados do FC Porto estavam numa noite (mais uma) não. Kloop aproveitou o descanso para colocar Firmino em campo, não estava descansado com o que vira da primeira parte. O jogo ia passando e faltava cada vez menos tempo para os dragões reverterem uma eliminatória muito muito difícil e Salah tornou a missão dos dragões impossível. Num contra-ataque rápido faz o 2-0 e mata as esperanças do Dragão em seguir em frente. Apesar disso, o FC Porto ainda havia de festejar um golo. Canto de Alex Telles e um cabeceamento irrepreensível de Eder Militão. O FC Porto apenas podia sonhar com um empate no jogo.

Aos 71 com a entrada de Henderson, essa missão tornou-se mais uma vez muito difícil. O Inglês entrou com muita qualidade e conseguiu aos 77 minutos servir Firmino para o 3-1 do Liverpool.

Estava fechado o jogo, estava fechada a eliminatória e os Dragões estavam de rastos. Mas Van Dijk ainda haveria de fechar a eliminatória com o 4-1 aos 84 numa situação de canto. Houve tempo até ao fim ainda das entradas de Bruno Costa e Fernando Andrade mas sem efeitos práticos no jogo.

O Dragão despede-se até para o ano de uma liga dos campeões, mas só pode estar orgulhoso do seu percurso!

[Total: 1    Average: 5/5]