O que é o vídeo-árbitro? Conheça tudo sobre este sistema

O uso da tecnologia de vídeo no futebol tem sido um dos principais pontos de discussão e promete permanecer nos próximos meses antes da Copa do Mundo na Rússia. Aqui vamos falar tudo o que precisa de saber sobre o vídeo-árbitro.

Depois de anos de chamadas e boatos sobre uma possível tecnologia de árbitros perfeita, estamos agora cada vez mais perto do desejado. A tecnologia de vídeo, também designada por video assistant referee (VAR), teve o seu primeiro grande lançamento na Copa das Confederações do ano passado e já está a ser usado na Bundesliga, na Serie A e no campeonato português.

O que é o vídeo-árbitro?

De forma resumida, o VAR é uma estrutura tecnológica desenhada para tomar decisões o mais corretas possíveis no que toca à arbitragem de um jogo.

Sistema de VAR

Sistema de VAR

Segundo o site Goal, este sistema foi usada pela primeira vez na Inglaterra em novembro de 2017, quando os Three Lions enfrentaram a Alemanha num jogo amigável e, a 8 de janeiro, fez sua estreia competitiva quando o Brighton & Hove Albion conquistou o Crystal Palace na FA Cup.

A questão é que, ao invés de eliminar o debate em torno das decisões de arbitragem, o novo sistema resultou em ainda mais discussões. Vejamos o exemplo do campeonato Português, o VAR foi acusado dezenas de vezes de ser falível, proporcionar decisões discutíveis e de só atuar quando era do interesse de certos clubes.

No geral, tem havido bons e maus momentos para o VAR – como veio a ser conhecido – e é certo que continuará a ser um ponto de discussão durante os próximos meses.

Mas o que exatamente é o VAR e qual o objetivo que este pretende alcançar? Aqui está tudo o que você precisa saber sobre uma grande mudança na forma como o futebol é oficializado.

VAR | O Básico dos básicos

VAR significa, em português, árbitro assistente de vídeo ou de forma mais simples vídeo-árbitro. Na verdade, o VAR é constituído por uma equipa de três pessoas que trabalham juntas para revisar certas decisões tomadas pelo árbitro principal assistindo a replays de vídeo dos incidentes relevantes.

Essa equipa é composta pelo próprio assistente de vídeo (que será um atual ou ex-árbitro), o seu assistente e um operador de replay. Eles estão situados numa sala de operação de vídeo que é essencialmente uma sala com vários monitores que oferecem diferentes ângulos de câmara sobre os vários lances do jogo.

Apenas quatro tipos de decisões podem ser revisados usando o VAR: golos, pénaltis, cartões vermelhos e identidade equivocada na atribuição de um cartão. Para que uma decisão tomada no campo seja anulada, deve existir um “erro claro”.

O processo de revisão de uma decisão pode funcionar de duas maneiras: ou o árbitro pode solicitar uma revisão após tomar uma decisão ou a equipe VAR pode recomendar uma. Na última situação, se o VAR julgar que existe a possibilidade de um erro claro ter sido feito, ele ou ela pode notificar o árbitro.

O árbitro tem então depois de conhecer o aconselhamento do VAR três opções:

  • Reverter imediatamente a chamada com base no conselho do VAR;
  • Rever o incidente num monitor na linha lateral;
  • Ficar com a decisão inicial.

Vídeo-árbitro no Campeonato Português e no Mundial 2018

Vamos por partes que esta questão é muito relevante.

VAR em Portugal

Surpreendentemente, a Federação Portuguesa de Futebol foi uma das primeiras a adotar esta nova tecnologia. De facto, esta época passada 2017/18 do campeonato português teve o direito de usufruir do VAR.

VAR Portugal

Contudo, pelo menos a meu ver a sua prestação foi desastrosa. Se o objetivo seria eliminar as dúvidas em lances polémicos e todas as queixas sobre arbitragem, então falhou redondamente. Diria que nunca as decisões de arbitragem e discussões sobre lances tiveram tão alta como nesta época. Presidentes, jogadores, treinadores e adeptos tiveram sempre (ou quase sempre) algo a dizer sobre decisões de arbitragem.

Além disso, para piorar toda a situação sugiram por várias vezes alegações e boatos que o vídeo-árbitro só era corretamente utilizado em detrimento de certos clubes. Não vou dizer nomes, não é isso que me traz aqui hoje.

O VAR deve continuar em Portugal. O futuro do futebol passa por encontrar formas de atenuar o erro e evitar discussões fúteis que geram violência. Dito isto, o VAR deverá continuar. No entanto, FPF se algum dos seus responsáveis estiver a ler isto, tenham o mínimo de inteligência e aumentem a frequência de uso do VAR nos jogos assim como o seu poder para tomar decisões finais.

VAR no Mundial de 2018

Sim, o vídeo-árbitro será usado no mundial 2018 deste verão na Rússia.

O presidente da FIFA, Gianni Infantino, estava confiante de que isso seria um acréscimo positivo ao torneio. Porém, tem recebido algumas críticas às quais respondeu reafirmando o seu compromisso com o sistema. Esperemos para ver no que vai resultar.

Não obstante, Pierluigi Collina, o lendário árbitro que agora lidera o comitê de arbitragem da FIFA, também está feliz. “Nós vemos o resultado muito positivo que tivemos, mas estamos conscientes de que podemos melhorar. Isso é normal”.

Considerações Finais | Vídeo-árbitro

Bem, sobre este tema acho que não resta muito a dizer. A ideia é boa, a concretização é pior que péssima. Basicamente, adicionaram mais um critério na decisão do árbitro. Um critério que é demasiado caro e valioso para ter o papel secundário (ou até inexistente muitas vezes) que têm.

Más decisões de arbitragem geram discussão (isto é futebol), desacatos (isto não é futebol) e violência (isto é crime). De alguma forma, tem que se conseguir eliminar tudo o que não seja futebol e seja crime da atmosfera da FIFA. O caminho pode bem ser o VAR, mas tem que mudar e melhorar muito ainda.

[Total: 3    Average: 5/5]